Minerais Quelatos o que são para que servem

   

 

Minerais quelados

 

 

A Medicina Ortomolecular é o ramo da ciência cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. Este acerto das moléculas se dá através do uso de substâncias e elementos naturais como vitaminas, aminoácidos e minerais.
O Homem está sendo permanentemente submetido à condições que levam ao excesso de radicais livres como, por exemplo, o estresse, o fumo, a poluição, exposições prolongadas ao sol, entre outras. A Medicina Ortomolecular, através do uso de vitaminas e minerais, objetiva neutralizar os efeitos tóxicos destas espécies reativas, proporcionando uma melhor qualidade de vida, além de tratar das deficiências de nutrientes.
Todavia, apesar da Medicina Ortomolecular ter um sentido curativo, ela também é eminentemente preventiva, onde o aspecto mais relevante é o fato de que o paciente ser encarado como um todo, um conjunto que deve funcionar em harmonia. Com esta visão global, qualquer tratamento torna-se muito mais vantajoso, pois encontra a origem dos problemas, a verdadeira raiz a partir da qual todo o processo patológico se desenvolve.

MINERAIS QUELADOS

BORO QUELADO
Propiedades Farmacológicas:
Estudos recentes defendem a hipótese de que o Boro influencia o metabolismo dos macrominerais e afeta o metabolismo de hormônios. As doenças e desordens relacionadas com a deficiência desse mineral são: Osteoporose, sintomas da menopausa e perda de cálcio, magnésio e fósfora na urina.
Doses diárias recomendadas: 1 a 5mg de B elementar.

CÁLCIO QUELATO
Propriedades Farmacológicas:
Todas a s células do corpo são revestidas por uma membrana protetora conhecida como parede da célula. O cálcio quelato presente na membrana da célula ajuda a controlar a permeabilidade da parede da célula. Dessa forma, o cálcio controla a absorção dos nutrientes dentro da célula, bem como a excreção dos resíduos para fora da célula.
O cálcio age como co-fator enzimático e participa nos processos de secreção e excreção das glândulas endócrinas e exócrinas, na liberação de neurotransmissores e na manutenção da permeabilidade de membrana, da função renal e da respiração.
Indicações terapêuticas:
O cálcio previne e trata a osteoporose, possui propriedades protetoras contra o câncer colo-retal e a hipertensão arterial. Indicado na gravidez, na intoxicação por magnésio (superdose de sulfato de magnésio), reanimação cardíaca (quando falha a adrenalina e a desfibrilação produz contrações fracas ou inadequadas), reduz o colesterol e ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, tranqüilizante natural (diminui a insônia), ajuda a aliviar a cãibra nas pernas, útil no tratamento e prevenção da artrite e ajuda a manter a pele saudável. Utilizado como coadjuvante em picadas de insetos: aranha viúva- negra e outros. Recomendado para mulheres em pré- menopausa e pós- menopausa e para gestantes e lactentes.
Dose usual: 1000 a 2000mg de Ca elementar diários.

COBRE QUELATO
Propriedades Farmacológicas:
O cobre é necessário para converter o ferro do organismo em hemoglobina, sendo fundamental para a formação dos tecidos conectivos e dos ossos. Também permite a utilização do aminoácido tirosina, fazendo com que funcione como fator de pigmentação para o cabelo e a pele. É indispensável para a utilização da vitamina C. É fundamental para o adequado metabolismo dos hormônios da tireóide e catecolaminas (epinefrina e dopamina).
O cobre participa de numerosas enzimas tais como: ceruloplasma (transporte de ferro), superóxido dismutase (eliminação de radicais superóxido), lysiloxidase (síntese de elastina e colágeno) e tirosinase ( síntese de melanina).
Indicações terapêuticas
O cobre é indicado para suprir as deficiências em formulações gerais e como adjuvante nos tratamentos anti-inflamatórios, benéfico contra algumas formas de artrite reumatóide, possui potente ação anti-oxidante (combate os radicais livres que aceleram o envelhecimento), aumenta a imunidade e protege contra doenças cardiovasculares.
Dose usual: 1 a 5mg de Cu elementar.

CROMO QUELADO
Propriedades Farmacológicas:
O cromo atua aumentando o número de receptores de insulina na membrana da célula, potencializando a insulina sem substituí-la clinicamente. O cromo atua no metabolismo da glicose pela sua presença no Fator de Tolerância a Glicose (FTG). A intolerância à glicose resulta da redução da capacidade de remoção do açúcar do sangue para nutrição celular(é característica do diabetes), o FTG potencializa a atividade da insulina necessária ao metabolismo do açúcar. O cromo ajuda a restaurar parte da sensibilidade do organismo à insulina e, portanto, a fazer melhor uso da glicose. O cromo funciona no metabolismo glicídico e lipídico.
Indicações terapêuticas
O cromo é indicado no tratamento e prevenção do diabetes, na proteção de doenças cardiovasculares e hipertensão arterial, no tratamento de hipoglicemia, combate a arteriosclerose e diminui significativamente o colesterol sérico (aumenta os índices de colesterol HDL). Utilizado nas formulações para atletas, pois o cromo é perdido em proporções significativas nos exercícios físicos e na transpiração.
Dose usual: 100 a 200mcg diários, na forma de Cr elementar.

ESTRÔNCIO QUELATO
Propriedades Farmacológicas:
O Estrôncio pode ajudar na estrutura da matriz celular e mineral dos ossos e dentes, oferece resistência e ajuda na prevenção da cárie dentária ou na flexibilidade dos ossos, embora não se sabe se o baixo nível de estrôncio no corpo causa algum problema. O estrôncio está presente nas águas do mar, outras águas e no solo.
Nosso corpo contém aproximadamente 300 – 350mg, 99% presente nos ossos e dentes. Ele assemelha-se ao cálcio quimicamente e pode atualmente substitui-lo.
A absorção do Estrôncio varia aproximadamente de 20 – 40%. Ele está estável nos tecidos, principalmente nos ossos e dente, e o estrôncio extra é eliminado pelas fezes.
Indicações terapêuticas
A suplementação ainda não está bem claro. O uso do estrôncio ajuda no metabolismo dos ossos e oferece resistência na osteoporose, porém ainda questionável. Também pode ser usado na prevenção de cáries dentárias.
Deficiências e toxicidade
Não há casos relatados de toxicidade do Estrôncio natural. Não há nenhum sintoma relatado na deficiência em humanos, porém em estudos feitos com ratos, a deficiência de Estrôncio pode diminuir o crescimento, empobrecer a calcificação dos ossos e dentes, e aumentar as cáries dentárias.
Dose usual: Não há RDA para o Estrôncio. O alimento pode suprir-nos com aproximadamente 2mg diárias.

FERRO QUELATO
Propriedades Farmacológicas:
O ferro tem inúmeras funções no nosso organismo: o transporte de oxigênio na hemoglobina, participa de mecanismos enzimáticos complexos, está ligado ao transporte de elétrons em várias enzimas, principalmente enzimas ligadas à fosforilação oxidativa, ribonucleotídeo redutase, enzimas envolvidas na síntese e degradação de aminas biogênicas (incluindo tirosina e triptofano hidroxilases, que iniciam a formação de dopa e serotonina), enzimas heme, catalase e triptofano oxigenase. Grandes quantidades de ferro são encontradas na mioglobina das células musculares, e quantidades elevadas porém variáveis, são armazenadas na ferritina, uma sub-unidade protéica presente em todas as células, especialmente fígado, baço e medula óssea.
Indicações terapêuticas
O ferro previne e cura a anemia ferropriva, é anti-cancerígeno, estimula a imunidade, melhora o desempenho físico e previne problemas de aprendizado em crianças.
O ferro também é utilizado em grávidas, mulheres com fluxo menstrual excessivo, doadores de sangue, lactentes e em pessoas que praticam esportes, devido a perda que ocorre pelo suor.
Dose usual: 10 a 15mg por dia na forma de Fe elementar.

IODO QUELADO
Farmacologia
Nosso organismo contém normalmente de 20 a 30mg de iodo, com mais de 75% na glândula tiróide e o restante distribuído por todo o organismo, particularmente na glândula lactente mamária, na mucosa gástrica e no sangue. O estudo da influência do iodo no metabolismo animal tornou-se bastante importante a partir de 189, quando se descobriu que o elemento é um constituinte normal da tiróide. Cedo se verificou que uma dieta deficiente em iodo era a causa principal do bócio. O iodo é um micronutriente essencial ‘a síntese de hormônios da glândula tireóide, desempenhando um papel único na prevenção dos distúrbios por deficiência de iodo – DDI. A falta ou excesso desse nutriente pode causar retardo mental, defeitos no desenvolvimento do sistema nervoso, cretinismo, bócio, cansaço físico, retardo do crescimento, infertilidade e aumento na mortalidade infantil. A falta de iodo durante a gestação pode causar danos irreversíveis à criança. Por outro lado, o excesso de iodo pode suprimir a atividade tiroidiana. Quando os solos são pobres em iodo, particularmente em certas regiões montanhosas da Europa, distantes domar, pode-se apresentar uma carência em iodo, cujo principal sinal é o bócio ou papeira (aumento do volume da glândula tireóide). As populações que habitam locais próximos do litoral têm menor probabilidade de serem acometidas pelos DDIs, pois são beneficiadas pelo iodo presente em podutos do mar e no solo.
O iodo é um elemento indispensável ao funcionamento de todo o organismo. Com efeito, o iodo entra na formação de dois fatores hormonais da glândula tireóide (tiroxina e triiodotiroxina) que agem sobre a maioreia dos órgãos e das grandes funções do organismo: o sistema nervoso, a termogênese (que nos permite conservar uma temperatura estável), o sistema cardiovascular, os músculos esqueléticos, as funções renais e respiratórias. Em suma, estes hormônios são indispensáveis ao crescimento e ao desenvolvimento harmonioso do organismo. O iodo é encontrado em quantidades extremamente variáveis nos aliemntos e na água de beber. As fontes mais ricas de iodo são os frutos do mar e o sal marinho, mas o iodo está também presente em numerosos legumes (vagem, agrião, cebola, alho poro, rabanete, nabo) e em certas frutas (abacaxi e ameixa). Como na maioria das vezes a alimentação diária não permite que nosso organismo disponha da quantidade necessária deste mineral, a suplementação feita através do iodo quelado 1% pode contribuir para evitar os DDIs.
Posologia : 50 a 300mcg de iodo elementar.

MAGNÉSIO QUELATO
Farmacologia
O magnésio participa da síntese e hidrólise do ATP, ativação e estabilização de macro moléculas como o DNA e ribossomos, além de ativar e regular inúmeras enzimas, tais como a fosfatase alcalina que está envolvida no metabolismo do cálcio e do fósforo.
O magnésio, em combinação com o cálcio, regula a permeabilidade das membranas.
Sua concentração nos fluídos extra celulares é crítica para a integridade e funcionamento do sistema nervoso, tanto na condução do estímulo nervoso, como na sua transmissão através da junção mioneural. O magnésio é necessário para metabolismo da vitamina C, sódio e potássio, sendo importante para converter o açúcar do sangue em energia. O magnésio também aumenta a mobilidade dos espermatozóides, participa do crescimento e mineralização dos ossos e inibe a agregação plaquetária.
Indicações terapêuticas
O magnésio é utilizado nas formulações gerais:
1- como relaxante, 2- no combate à fadiga neuromuscular, 3- no stress, 4- no tratamento da síndrome pré-menstrual (associado à vitamina B6), 5- combate a tensão nervosa e a depressão, 6- na prevenção e tratamento das doenças cardíacas, 7- ajuda a evitar a formação de pedras nos rins e na vesícula, 8- alivia a digestão.
Combinado com o cálcio, o magnésio funciona como tranqüilizante natural e atua na manutenção da saúde cardiovascular.
Dentre os grupos vulneráveis à deficiência de magnésio estão: idosos, pessoas em dietas de baixas calorias, diabéticos, pessoas que fazem uso de digitálicos e diuréticos, consumidores de álcool, gestantes e pessoas que praticam exercícios regulares e pesados.
A suplementação de magnésio parece desempenhar um papel na medicina preventiva.
Dose usual: 50 a 500mg de Mg elementar.

MANGANÊS QUELADO
Propriedades Farmacológicas:
O manganês age como ativador enzimático sobre o polissacarídeo polimerase, a arginase hepática, a colinesterase e o piruvato carboxilase.
Na enzima tiaminoquinase, viabiliza a ação da tiamina (na forma ativa de tiamina pirofosfato).
Na enzima glucosiltransferase e galctiltransaferase, participa da formação das glicoproteínas. As glicoproteínas formam parte da membrana das células e especificamente são responsáveis pela defesa celular contra o ataque de vírus e certas formas de câncer.
O manganês catalisa a síntese dos mucolissacarídeos das cartilagens. É um co-fator na fosforilização oxidativa. Participa de vários estágios da homeostase da glicose.
Indicações terapêuticas
O manganês é importante para o funcionamento normal do cérebro e eficaz no tratamento da esquizofrenia e de algumas doenças nervosas, necessário para a reprodução e para a estrutura óssea normal e útil no tratamento da osteoartrite. Importante no metabolismo normal da glicose e benéfico no tratamento do Diabetes mellitus.
Utilizado em formulações para desenvolvimento físico, terapias anti-oxidantes, bem como para tratamentos pós- cirúrgicos ou de traumatismos.
Dose usual diária: 5 a 20mg de Mn elementar.

MOLIBDENIO COMPLEX
Propriedades Farmacológicas:
O molibdênio é essencial para a atividade de somente três enzimas em mamíferos. A xantina, aldeído e sulfito oxidase. Essas três enzimas contém flavina e também ferro.
A sulfito oxidase é necessária para a excreção de enxofre (como sulfato), e contém molibdênio na forma +5 e +6, no estado oxidado, modo como atua, na transferência de elétrons para oxidação/redução. É necessária para o completo catabolismo de aminoácidos sulfurados e para inativação do íon sulfito.
Indicações terapêuticas
O molibdênio protege contra o câncer, protege os dentes, previne a impotência sexual, previne a anemia e mobiliza o ferro (a xantina oxidase, uma enzima que depende do molibdênio, talvez participe da absorção e liberação do ferro da ferritina – forma de armazenamento do ferro).
Utilizado como anti-oxidante.
Doses diárias recomendadas: 150 a 500mcg de Mo elementar.

POTÁSSIO QUELADO
Propriedades Farmacológicas:
Associado ao sódio, o potássio regula o equilíbrio da água no organismo e normaliza o ritmo cardíaco. O potássio é acumulado pelas células por um mecanismo que depende de energia que expulsa o sódio. A captação de potássio é acoplada a esse mecanismo diretamente ou ativada pela diferença de potencial que resulta da expulsão do sódio.
O potássio trabalha dentro das células e o sódio na parte externa. O potássio ajuda a raciocinar com clareza, pois envia oxigênio ao cérebro; ajuda a eliminação das matérias inúteis ao organismo; auxilia na redução da pressão sangüínea. As funções dos nervos e músculos ficam comprometidas quando há desequilíbrio entre sódio e potássio. O potássio também exerce um papel importante na gênese e na correção dos desequilíbrios do metabolismo ácido- básico.
Indicações terapêuticas:
O potássio é útil na prevenção e tratamento da hipertensão, protege contra a morte provocada por derrames, melhora o desempenho dos atletas (a deficiência de potássio provoca fraqueza, fadiga), benéfico na prevenção e tratamento do câncer. Indicado para pacientes que fazem uso de diuréticos ou que transpiram em excesso.
Doses diárias recomendadas: 50 a 300mg de K elementar.

SELÊNIO QUELADO
Propriedades Farmacológicas:
A mais importante atividade biológica do selênio parece ser através da enzima glutationa peroxidase, na qual em comparação com a vitamina E e outros agentes anti-oxidantes são capazes de reduzir os efeitos destrutivos sobre as células vivas de reações peroxidativas. Os efeitos antioxidativos do selênio e vitamina E são diferentes, mas não menos complementares. A vitamina E previne a formação de peróxidos graxos por seqüestro de radicais livres antes que eles iniciem a peroxidação graxa. O selênio como parte essencial da glutationa peroxidase reduz peróxidos já formados para álcoois menos ativos.
Indicações terapêuticas:
Preventivo nas alterações degenerativas do pâncreas; exerce efeito protetor, retardando o desenvolvimento do tecido cancerígeno; deficiências imunológicas; artrite reumatóide; doenças cardíacas; também protege contra os efeitos tóxicos do cádmio, mercúrio, chumbo e outros metais tóxicos formando complexos biologicamente inativos; outra característica do selênio é que aumenta a efetividade da vitamina E; é um anti-oxidante que ajuda a prevenir a ruptura dos cromossomas dos tecidos. O leite humano contém 6 vezes mais selênio do que o leite de vaca e 2 vezes mais vitamina E, a deficiência de selênio está relacionada coma a morte súbita infantil. A deficiência de selênio pode produzir distrofia muscular, diástese exudativa, necrose do fígado e infertilidade. O selênio protege a pele contra os raios ultravioleta. O selênio também tem sido estudado e utilizado no tratamento de pacientes com AIDS e com Ebola Vírus.
Doses diárias recomendadas: 50 a 200mcg de Se elementar.

SILICIO QUELADO
Propriedades Farmacológicas:
Além de fazer parte integrante de nossas estruturas conjuntivas, tomando parte na constituição de colágeno, elastina, mucopolissacarídeos, proteoglicanos, glicoproteínas, glucosaminoglucanos e poliurônios, tem, também a função moduladora sobre diversas vias metabólicas fundamentais para a homeostase de nosso organismo, especialmente a dérmica, podendo considerá-lo um dos recursos mais importantes para a prevenção do câncer de pele, pela profunda influência que exerce sobre o processo imunológico, mormente a nível dérmico, envolvendo o Natural Killer, exterminador de focos cancerosos na pele. Sem se falar no seu poderoso efeito sobre a lipodistrofia localizada (celulite) e a peroxidação lipídica (geração de radicais livres). Favorecendo, assim, além do aspecto estético na silhueta, em razão do descrito acima; quanto, também em razão de sua ação envolvendo as gorduras localizadas e os radicais livres. O Silicio exerce efeito marcante em prol de uma pele mais viçosa, sem rugas, ondulações e imperfeições.
Doses diárias recomendada:
5 a 10mg ao dia

VANADIUM QUELADO
Propriedades Farmacológicas
O Vanadium estabelece o equilíbrio no estado de saúde, participando de diferentes processos metabólicos necessários à formação de energia, agindo como co-fator ou ajudando a acelerar as reações no metabolismo dos carboidratos, das gorduras e fortalecendo ossos e dentes.
Foram realizadas diversas pesquisas sobre a bioquímica do vanadium no metabolismo do lipídios e constatou-se redução da síntese do colesterol no fígado. Existem evidências que sua ação é mais efetiva quando o nível de colesterol é mais elevado ou quando sua síntese está anormalmente elevada.
O vanadium aumenta o transporte e oxidação de glicose em adipócitos, estimula a síntese de glicogênio no fígado e diafragma e inibe a gliconeogênese nos hepatócitos. Essas atividades insulinomiméticas do vanadium, observadas na ausência da insulina, foram confirmadas e dissociadas de sua habilidade de inibir a ATPase Na+/K+.
Em hepatócitos o vanadium acelera a glicólise e inibe a frutose 2,6, bisfosfatase. Em adipócitos isolados o vanadium estimula o transporte de glicose, mobilizando transportadores da membrana plasmática, e aumentam a liberação de lipoproteína lipase.
No metabolismo do ferro, o vanadium promove sua distribuição e auxilia a sua correção mais rápida nas anemias carenciais quando utilizado em conjunto com sulfato ferroso.
Além disso, o vanadium favorece a mineralização dos ossos e dentes, provavelmente devido à troca do fósforo na molécula de apatita (fosfato de cálcio com flúor) conduzindo ao endurecimento da apatita, estimulando a mineralização da dentina, podendo exercer um efeito protetor contra as cáries.
Indicações terapêuticas:
Calcifica os ossos e dentes, evitando as cáries. O vanadium pode inibir a aparição de tumores espontâneos e, também pode diminuir as propriedades cancerígenas de certas substâncias químicas. Alguns estudos demonstraram que o vanadium destroem as células neoplásicas.
Utilizado como auxiliar na diminuição das taxas de triglicérides e de colesterol do plasma e na redução da quantidade de colesterol que se acumula na aorta.
Doses diárias recomendadas: 17 a 43mcg de V elementar

ZINCO QUELATO
Propriedades Farmacológicas:
O zinco faz parte de mais de 200 enzimas, tais como: carboxipeptidase, anidrase carbônica, fosfatase alcalina, desidrogenase láctica, superóxido dismutase, retinol desidrogenase, transferases, hidrolases, etc. O zinco é fundamental para a síntese e metabolismo de proteínas, DNA,RNA, insulina, etc.
Indicações terapêuticas
O zinco é indicado em formulações para o aumento da imunidade, para o tratamento de disfunções do aparelho genital masculino (fertilidade e impotência), para fertilidade feminina, na gravidez, na lactação, em recém- nascidos, em crianças em idade de crescimento, em dietas insuficientes de proteínas, como no caso de desnutrição, alcoolismo e em casos geriátricos. Também utilizado como coadjuvante na diminuição dos depósitos de colesterol. Casos de tensão pré-menstrual e depressão pós-parto respondem bem à doses extras de zinco. Também previne a cegueira decorrente do envelhecimento, previne câncer, acelera a cicatrização de feridas, aumenta o desejo sexual, útil no tratamento de acne, previne a queda de cabelo, anti-inflamatório e útil no tratamento da artrite reumatóide.
Utilizado freqüentemente em formulações anti- oxidantes e de suplementação de zinco.
Doses diárias recomendadas: 10 a 60mg de Zn elementar



Outros Artigos

Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previ

Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previne as rugas

Ler mais

Magnésio Tipos de...

Tipos de mágnésio

Ler mais

KEFIR Os Inúmeros Benefícios do Probiótico

Os Inúmeros Benefícios do Probiótico Kefir    

Ler mais

SiliciuMax

SiliciuMax®

Ler mais

Vitaminas, sua falta, causam Depressão e Transtornos de Humor

Carências Nutricionais que Causam Depressão e Transtornos de Humor  

Ler mais

Vitamina D e depressão

A deficiência de vitamina D e a depressão  

Ler mais