Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previ

Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previne as rugas


 

Por Dr. Mercola

Rudi Moerck, que possui treinamento avançado em ciências biológicas, é especialista em gorduras e antioxidantes.

A astaxantina é reconhecida como um dos antioxidantes mais potentes e interessantes que já surgiram, e é respaldada por evidências extensas e convincentes.

Extraída das algas marinhas, a astaxantina é o que dá a cor rosada aos flamingos e aos salmões depois de comer algas.

Faz parte da família de carotenoides, que inclui o betacaroteno, a luteína, o licopeno e a zeaxantina, apenas para mencionar alguns.

Em uma alimentação normal, desde que você esteja comendo hortaliças na quantidade certa, você provavelmente obterá suficiente quantidade da maioria dos carotenoides comuns, como os betacarotenos (vitamina A).

"Não recomendamos a suplementação excessiva de vitamina A", afirma o Dr. Moerck.

"Existem alguns documentos sobre isso. Não deveria ser exagerado; principalmente as versões sintéticas.

Você está mais seguro obtendo o betacaroteno das cenouras orgânicas, por exemplo".

O mesmo se aplica à zeaxantina, encontrada nas hortaliças, como brócolis e verduras folhosas. A astaxantina, por outro lado, pode ser mais difícil de obter em quantidades terapêuticas na sua alimentação.

Por que você precisa de um suplemento de astaxantina

A astaxantina é o carotenoide presente com maior frequência nos animais aquáticos e marinhos, principalmente o salmão, dando a ele sua cor rosa característica.

O camarão, a lagosta e o caranguejo também são fontes de astaxantina. No entanto, é pouco provável que você consiga consumir salmão e crustáceos e moluscos em quantidade diária suficiente para obter a dose terapêutica. Você teria que consumir cerca de três quartos de meio quilo de salmão vermelho selvagem, dono das maiores quantidades de astaxantina entre todos os alimentos marinhos, para receber a mesma quantidade de astaxantina de uma cápsula de 4 mg se você tomasse um suplemento.

Essa é a razão por que pensar em tomá-la como suplemento. Principalmente quando você leva em conta suas propriedades mais benéficas, tais como:

  • A astaxantina é de longe o antioxidante carotenoide mais poderoso quando se trata de eliminadores de radicais livres: a astaxantina é 65 vezes mais potente que a vitamina C, 54 vezes mais poderosa que o betacaroteno e 14 vezes mais potente que a vitamina E.
  • Ela também é muito mais eficaz que outros carotenoides em "sequestrar o oxigênio singlete", que é um tipo específico de oxidação. Os efeitos nocivos da luz solar e de vários materiais orgânicos são causados por essa forma de oxigênio menos estável. A astaxantina é 550 vezes mais potente que a vitamina E e 11 vezes mais potente que o betacaroteno em neutralizar o oxigênio singlete.
  • A astaxantina atravessa a barreira hematoencefálica E a barreira hematorretiniana (o betacaroteno e o licopeno não), levando proteção antioxidante e anti-inflamatória aos olhos, cérebro e sistema nervoso central e reduzindo o risco de catarata, degeneração macular, cegueira, demência e mal de Alzheimer.
  • É um potente absorvente de raios UVB e reduz os danos ao DNA.
  • É um anti-inflamatório natural bastante potente.
  • É incapaz de se transformar em um pró-oxidante assim como vários outros antioxidantes, portanto, não causa danos até mesmo em quantidades maiores.
  • Protege toda a célula – tanto as partes solúveis em água quanto as solúveis em gordura.

Diferentes tipos de carotenoides

O último ponto é muito interessante, é algo que diferencia a astaxantina de todos os outros antioxidantes. Existem basicamente três tipos diferentes de carotenoides: os solúveis em água, os solúveis em gordura e um grupo intermediário capaz de fazer a interface entre água e gordura, como a vitamina E e a astaxantina.

Embora os antioxidantes solúveis em água precisem ser tomados todos os dias já que são expelidos facilmente, os que são solúveis em gordura, como a astaxantina, a luteína ou a zeaxantina, não precisam ser tomados diariamente.

O ideal é que você os tome diariamente em uma dose modesta, mas isso não é necessário já que eles se acumulam até certo ponto nos tecidos gordurosos, que apresentam taxa de conversão mais lenta.

A astaxantina e a vitamina E são semelhantes. As duas são necessárias?

A astaxantina é geralmente comparada à vitamina E – embora a astaxantina seja centenas de vezes mais potente.

O que é interessante é que, embora semelhantes, a astaxantina e a vitamina E têm estruturas totalmente diferentes, e a astaxantina têm mais truques na manga do que a vitamina E. Porém, devido a sua semelhança geral, surge uma pergunta frequente: você ainda precisa tomar vitamina E se está tomando a astaxantina?

Segundo o Dr. Moerck, a resposta é sim, mas com algumas condições:

"O derivativo mais importante da vitamina E é o alfa-tocoferol", explica o Dr. Moerck. "A [vitamina E] natural, e não a [versão] dl, mas a alfa-tocoferol. É mais importante que os outros tocoferóis… [Mas] a vitamina E em grandes quantidades não é uma boa ideia.

A razão disso é que a vitamina E, quando fica oxidada, ou quando há produção fotoquímica de um radical livre, apresenta [o que é chamado de]… anel benzenoide…

Isso forma um radical livre bem estável. Ele é capaz de ficar parado e...esperar até encontrar algo com o qual possa reagir. Pode ser o seu tecido ou outro radical livre de vitamina E.

Portanto, as grandes quantidades de vitamina E...como suplemento, na verdade, se tornam pró-oxidativas – ela se torna um pró-oxidante.

Isso não é bom porque você forma esses radicais livres estáveis...a ultrassuplementação de vitamina E...não é saudável na minha opinião...

Uma megadosagem seria algo superior a 2.000 unidades. Sendo assim, se você misturar algo com a vitamina E que permita que esse radical livre se dissipe, chegando ao que nós cientistas chamamos de estado básico, então você tem uma vitamina E bastante funcional e que não se torna um pró-oxidante, esse ingrediente único é a astaxantina.

Se você misturar a astaxantina com a vitamina E, isso evitará que a vitamina E seja um radical livre estável [porque] a astaxantina se dissipa no estado básico. Então isso é muito importante.

Qualquer fórmula que contenha vitamina E, eu acho que deveria ter algumas partes por milhão de astaxantina, ou mais. Poderia ser até 4 mg".

Portanto, quando você toma a astaxantina com a vitamina E (alfa-tocoferol), isso permite que os radicais livres formados pela reação da vitamina E com o oxigênio singlete cheguem ao estado básico, enquanto a vitamina E sozinha não faz isso.

Os vários benefícios da astaxantina à saúde

Os pesquisadores descobriram diversas áreas em que a astaxantina parece ajudar de modo específico. Já abordei esses benefícios de modo aprofundado anteriormente, portanto, para obter mais informações sobre o seu uso nos seguintes problemas de saúde, consulte os links abaixo:

  • Saúde do olho, incluindo a proteção contra catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade, a causa mais comum de cegueira
  • Problemas inflamatórios, como artrite reumatoide, doença cardíaca, esclerose múltipla, diabetes, mal de Alzheimer e muito mais
  • Queimaduras solares e prevenção contra rugas
  • Melhor desempenho atlético
  • Melhor saúde do cérebro

Cuidado com a astaxantina sintética

Assim como a gordura ômega 3 de origem animal, a astaxantina é uma exceção à minha regra geral de obter os nutrientes da comida. Como seria muito difícil obter as quantidades terapêuticas da astaxantina na sua alimentação, é um suplemento que vale a pena ser considerado, principalmente para tratar algum dos problemas de saúde listados acima.

Entre as fontes alimentares de astaxantina estão o salmão, a lagosta e o caranguejo. No entanto, é importante certificar-se de que seja selvagem se você deseja obter algum dos seus benefícios. Um bom conselho em geral é evitar os peixes de piscicultura, sobretudo quando se trata do salmão, já que ele normalmente não contém a astaxantina natural.

Se o rótulo do seu salmão não mostrar "selvagem" ou "de coloração natural", você provavelmente está ingerindo um agente de coloração mais parecido com óleo de motor do que com um antioxidante...

A astaxantina natural é pelo menos 20 vezes mais forte como antioxidante do que a astaxantina sintética, e o salmão selvagem é 400% mais rico em astaxantina do que o salmão criado em cativeiro. Além disso, o salmão selvagem tem níveis muito mais altos de gorduras ômega 3 benéficas do que a versão de cativeiro.

Esta é outra informação interessante:

"Se você observar a estrutura da astaxantina, ela é uma molécula muito longa cujo centro é extremamente solúvel em gordura. É por isso que ela entra nas membranas do seu corpo e depois no tecido gorduroso", afirma oDr. Moerck.

"Quando você olha um salmão você vê seu tom avermelhado. Essa cor está, na realidade, nas membranas e na parte de gordura do salmão associadas ao ômega 3 DHA. Elas estão juntas, o que evita que o DHA se oxide. O DHA é um ácido graxo insaturado. Se você o deixar exposto ao oxigênio, ele estragará.

…e, no krill, uma das razões por que ele é incrivelmente estável é que ele possui astaxantina. Isso evita que ele se oxide".

O óleo de krill, devido ao seu teor de astaxantina, não sofrerá nenhum dano causado pelo fluxo de oxigênio por impressionantes 190 horas, segundo os testes realizados pelo Dr. Moerck. Isso é realmente incrível se você considerar a fragilidade das gorduras ômega 3 (gorduras ômega 3 de origem animal e vegetal).

Compare com o óleo de peixe, outra fonte comparável de ômega 3 de origem animal, que se deteriora após uma hora apenas. Isso faz com que o óleo de krill seja quase 200 vezes mais resistente ao dano oxidativo que o óleo de peixe. A mera quantidade de 0,2 mg de astaxantina por grama do óleo de krill o protegerá contra a deterioração.

"Nunca vi nada parecido com o óleo de krill", afirma o Dr. Moerck. "Desde que o óleo de krill tenha astaxantina, desde que ainda seja vermelho, ele terá um desempenho antioxidante que ultrapassa até mesmo alimentos como o azeite de oliva. Para mim, isso é totalmente surpreendente...o único óleo diferente que eu saiba ser extremamente estável e ser um óleo monoinsaturado é o óleo de amaranto".

Possíveis efeitos colaterais

Segundo o Dr. Moerck, o único efeito colateral documentado da astaxantina é o desenvolvimento de uma pele levemente rosada — o que geralmente não é considerado prejudicial, já que as pessoas normalmente atribuem a cor rosada da pele a uma pessoa "saudável".

É um benefício cosmético na realidade. Assim como a melanina na pele, ela também oferece a você proteção solar, já que a astaxantina funciona como um filtro solar interno.

Recentemente, alguns blogueiros alegaram que a astaxantina causa o aumento dos seios.

Segundo o Dr. Moerck:

"Alguns blogs associaram o aumento dos seios à astaxantina. Pessoal, isso é simplesmente impossível...simples assim. Deixe-me explicar por quê.

Em primeiro lugar, as próprias moléculas, os carotenoides, não possuem a função de esteroides. Eles também não inibem a formação de esteroides e, é claro que sabemos que a testosterona e o estrogênio são muito importantes para a sexualidade e para o crescimento de pelos e tamanho dos seios, etc.

No entanto, os carotenoides não têm qualquer efeito sobre isso. NÃO há nenhuma atividade de esteroide. Ele não entra em nenhuma via de mecanismo para a síntese de esteroides".



Outros Artigos

Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previ

Astaxantina: alguns a chamam de o melhor antioxidante do mundo – protege os olhos, o cérebro e previne as rugas

Ler mais

Magnésio Tipos de...

Tipos de mágnésio

Ler mais

KEFIR Os Inúmeros Benefícios do Probiótico

Os Inúmeros Benefícios do Probiótico Kefir    

Ler mais

SiliciuMax

SiliciuMax®

Ler mais

Vitaminas, sua falta, causam Depressão e Transtornos de Humor

Carências Nutricionais que Causam Depressão e Transtornos de Humor  

Ler mais

Vitamina D e depressão

A deficiência de vitamina D e a depressão  

Ler mais