Metformina como Preventivo de Doenças Degenerativas

Metformina HCL em Pentravan
 
Introdução:
As doenças relacionadas ao envelhecimento estão entre as principais causas de morte em países industrializados e a metformina tem sido avaliada por gerontologistas em triagens clínicas com alvo em longevidade. Pesquisadores do National Institute on Aging, Baltimore, EUA, realizaram uma revisão sobre o uso da metformina como um agente preventivo do envelhecimento. 
A metformina pode influenciar os processos metabólicos e celulares associados com condições crônicas como inflamação, esteatose hepática, dano oxidativo, glicação de proteína, senescência celular, apoptose e o desenvolvimento de diversos tipos de câncer. Revisões recentes reportaram os efeitos geroprotetores da metformina e o seu elevado perfil de segurança.
Há relatos de que pacientes diabéticos e com doenças cardiovasculares que receberam metformina apresentaram taxas de sobrevida aumentadas e com redução do risco de declínio cognitivo e demência. Essas evidências permitem o desenvolvimento de terapias modificadoras de doenças mesmo em pacientes não diabéticos.
 
Vantagens da via Transdérmicas:
A absorção oral da metformina é em torno de 50% em jejum, porém na prática, o mais comum é a administração concomitantemente às refeições, na tentativa de reduzir os efeitos adversos gástricos, prejudicando consideravelmente a absorção.
Uma das vantagens da Metformina em Pentravan® administrada por via transdérmica é evitar a passagem pelo trato gastrintestinal e a ocorrência dos indesejáveis efeitos gastrintestinais associados com a sua administração por via oral.
Conforme demonstrado por avaliações clínicas em andamento, a dosagem de metformina administrada pela via transdérmica pode ser reduzida em relação à dosagem administrada oralmente, dependendo da avaliação clínica de cada paciente. 
Têm sido avaliadas doses entre 100 a 200 mg ao dia em doses divididas.
 
Mecanismo de ação na redução do índice glicêmico e do IMC:
A metformina tem ganhado interesse clínico pelo seu potencial na redução do IMC (índice de massa corporal). Muitos indivíduos lutam pela manutenção do peso após mudanças no estilo de vida e intervenções cirúrgicas. A terapia com metformina é sugerida para pacientes obesos, pois tem demonstrado reduzir a incidência de diabetes tipo 2 e apresenta um perfil de eficácia e segurança favorável em comparação com medicações para perda de peso.
Além do seu efeito redutor do índice glicêmico, a metformina também promove a redução da ingestão de alimento, sendo este seu primeiro mecanismo de ação na redução de peso. Seu efeito na redução de apetite aparenta ser multifatorial com mudanças na fisiologia do eixo hipotálamo-hipofisário, incluindo a sensibilidade à leptina e insulina. Novos achados demonstram que a metformina promove mudanças na fisiologia gastrintestinal e no ritmo circadiano, além de regular a oxidação e o depósito de gordura no fígado, músculo esquelético e tecido adiposo.
 
Benefícios:
 
? Promove perda de peso duradoura;  ? Reduz a ingestão de alimento; ? Age no sistema nervoso central;  ? Reduz o apetite por atenuar a atividade da AMPK no hipotálamo; ? Diminui a expressão de NPY (neuropeptídeo orexígeno);  ? Aumenta a expressão de POMC (neuropeptídeo anorexígeno);  ? Melhora a sensibilidade à insulina e leptina; ? Aumenta os níveis de GLP-1 afetando a microbiota intestinal;  ? Reduz depósitos lipídicos ectópicos (fígado e músculo esquelético);  ? Aumenta a oxidação lipídica;    ? Diminui a síntese lipídica.
 
Metformina e as vias metabólicas alvo na terapia antienvelhecimento:
(1) A metformina interage com os receptores para citocinas, insulina, IGF-1 e adiponectina, mecanismos que quando modulados, são associados com o aumento da expectativa de vida.
 
(2) A metformina inibe as vias inflamatórias e ativa a AMPK, aumentando a inibição da mTOR, que aparentemente é um dos alvos principais na
modulação do envelhecimento. Através de alguns desses mecanismos ela também modula o estresse oxidativo e remove células senescentes.
 
(3) Juntos, esses processos afetam a inflamação, a sobrevivência celular, a defesa contra o estresse, autofagia e a síntese de proteínas que são os principais resultados biológicos associados com o aumento da expectativa de vida.
 
Redução do risco de declínio cognitivo:
Evidências recentes sugerem que a metformina apresenta efeitos positivos na função cognitiva. Um estudo placebo-controlado em pacientes com diabetes tipo 2 e depressão, a metformina demonstrou uma melhor performance cognitiva e redução dos sintomas depressivos, além do controle glicêmico. Uma avaliação de 4 anos em 365 pacientes diabéticos com mais de 55 anos demonstrou que a metformina pode reduzir o risco de declínio cognitivo.
 
Redução da neuroinflamação:
A metformina demonstrou manter o equilíbrio redox e a homeostase celular do cérebro em modelos animais com envelhecimento induzido. Ocorreu a indução de vias autofágicas protetoras simultaneamente com a redução da neuroinflamação. Esses resultados levantam a possibilidade de que a metformina apresenta a habilidade de promover uma proteção saudável durante o envelhecimento.
 
Redução da mortalidade:
Uma observação clínica em mais de 100 mil pacientes identificou que os que apresentavam diabetes tipo 2 e foram tratados com metformina apresentaram uma expectativa de vida maior em comparação com os pacientes não diabéticos utilizados como controle e muito maior em comparação com os pacientes diabéticos tratados com outro fármaco.
 
Benefícios para a pele:
A poluição, assim como maus hábitos de vida, exposição excessiva da pele aos raios UV sem devida proteção, má alimentação, entre outros fatores, podem contribuir para estresse oxidativo, que pode provocar o envelhecimento precoce e danificar a estrutura da pele, causando o aparecimento de rugas, linhas de expressão e flacidez. As propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias do resveratrol podem preservar a estrutura saudável da pele, combatendo os radicais livres formados pelo estresse oxidativo. Além disso, ele apresenta atividade inibitória sobre a enzima tirosinase, contribuindo para a homogeneidade na coloração da pele, iluminando-a.
 
Benefícios para saúde cognitiva:
O envelhecimento cerebral é um processo inevitável, porém postergável através de exercícios físicos e mentais e hábitos de vida mais saudáveis. Ele se deve principalmente à morte neuronal e ao acumulo de substâncias, como emaranhados neurofibrilares e placas beta-amilóides, que originam tipos específicos de demências, como Alzheimer e de Corpos de Lewy. As funções cerebrais são dependentes de elevado transporte de substratos metabólicos através do sangue. Com o passar do tempo, a população idosa necessita cada vez mais de intervenções seguras para preservar as funções cognitivas. O resveratrol pode exercer atividade neuroprotetora através da redução da disfunção das mitocôndrias, do dano oxidativo e inflamação crônica, melhorando funções vasculares, e ativando genes de longevidade incluindo as sirtuinas. Em um estudo randomizado e duplo-cego, foi demonstrado que a suplementação com resveratrol melhorou o desempenho mental e a memória de indivíduos adultos. Outros estudos também demonstraram que o resveratrol, sozinho ou junto à piperina, elevou o fluxo sanguíneo cerebral em indivíduos adultos, e outro ainda demonstrou a capacidade do resveratrol aumentar a resposta cerebrovascular e a performance cognitiva.
 
Benefícios cardiovasculares:
Com o envelhecimento, o sistema cardiovascular perde a capacidade de se adaptar às alterações causadas pelo estresse, hábitos de vida, e outras atividades da rotina. A manutenção do sistema vascular (coração, artérias, capilares e veias) e sua flexibilidade ajuda a manter níveis de pressão arteriais normais, assim como o fluxo sanguíneo, níveis de glicose e o correto transporte de nutrientes para os tecidos. O resveratrol é um ingrediente com importante atividade cardiovascular benéfica. Estudos demonstraram a capacidade do resveratrol em reduzir os níveis de colesterol total, pressão arterial sistólica e diastólica, reduzindo assim os riscos à hipertensão. Também já foi demonstrado que o resveratrol oferece suporte para o fluxo sanguíneo saudável, promovendo vasodilatação. 
 
Benefícios para os ossos:
O processo de formação e reabsorção óssea, conforme envelhecemos, perde o equilíbrio e assim a reabsorção supera a formação. Fatores como obesidade e inflamações causadas por ela, e alterações hormonais características da menopausa podem agravar esse processo. O resveratrol estimula a diferenciação de osteoblastos, inibe a atividade dos osteoclastos e ainda protege contra a perda óssea. Ele possui ação complementar ao cálcio e à vitamina D, sendo um aditivo vital em produtos para saúde óssea.
 
Pentravan®:
É um veículo promotor de permeação cutânea na forma de matriz fosfolipídica desenvolvida por tecnologia lipossomal. Atua aumentando a permeação cutânea de ingredientes farmacêuticos ativos (APIs) com elevada compatibilidade celular. Apresenta permeação cutânea cientificamente comprovada, além de eficácia e segurança garantidas. É o único veículo transdérmico clinicamente testado com resultados publicados e mais estudado globalmente. Pentravan® apresenta o mais elevado grau de evidências científicas publicadas.
 
Referências Bibliográficas:
Barzilai N, et al. Metformin as a Tool to Target Aging. Cell Metab. 2016 Jun 14;23(6):1060-5. 
Novelle MG, et al. Metformin: A Hopeful Promise in Aging Research. Cold Spring Harb Perspect Med. 2016 Mar 1;6(3):a025932.
 Bulterijs S. Metformin as a geroprotector. Rejuvenation Res. 2011 Oct;14(5):469-82. 
Wang CP, et al. Differential effects of metformin on age related comorbidities in older men with type 2 diabetes. J Diabetes Complications. 2017 Apr;31(4):679686. 
Wang CP, et al. Frailty Attenuates the Impact of Metformin on Reducing Mortality in Older Adults with Type 2 Diabetes. J Endocrinol Diabetes Obes. 2014;2(2). pii: 1031. 
Ng TP, et al. Long-term metformin usage and cognitive function among older adults with diabetes. Alzheimers Dis. 2014;41(1):61-8. 
Patrone C, et al. Diabetes drugs and neurological disorders: new views and therapeutic possibilities. Lancet Diabetes Endocrinol. 2014 Mar;2(3):256-62
Igel LI, et al. Metformin: an Old Therapy that Deserves a New Indication for the Treatment of Obesity. Curr Atheroscler Rep. 2016 Apr;18(4):16.
 Malin SK, et al. Effects of metformin on weight loss: potential mechanisms. Curr Opin Endocrinol Diabetes Obes. 2014 Oct;21(5):323-9.
Polonini HC, et al. In vitro drug release and ex vivo percutaneous absorption of resveratrol cream using HPLC with zirconized silica stationary phase. J Chromatogr B Analyt Technol Biomed Life Sci. 2014 Feb 1;947948:23-31. 
Bhullar KS, et at. Lifespan and healthspan extension by resveratrol. Biochim Biophys Acta. 2015 Jun;1852(6):1209-18. 
Kodali M, et al. Resveratrol prevents age-related memory and mood dysfunction with increased hippocampal neurogenesis and microvasculature, and reduced glial activation. Sci Rep. 2015 Jan 28;5:8075. 
Pearson KJ, et al. Resveratrol delays age-related deterioration and mimics transcriptional aspects of dietary restriction without extending life span. Cell Metab. 2008 Aug;8(2):157-68.
 Tresguerres IF, et al. Resveratrol as anti-aging therapy for age-related bone loss. Rejuvenation Res. 2014 Oct;17(5):439-45



Outros Artigos

ILIB Laser... Irradiação sanguinea para a saúde

ILIB O que é ? Intravasculas Laser Irradiation of Blood ou ILIB &eacu

Ler mais

Hipnose Clinica

Hipnose Clinica Hipnose é um

Ler mais

Metformina como Preventivo de Doenças Degenerativas

Metformina HCL em Pentravan   Introdução: As doenças relacionadas ao envelhecimento estão entre as principais causas de morte em

Ler mais

A Aspirina é Perigosa e Não Deve ser Usada – Atenção! Aumenta o Risco de Cancer

A Aspirina é Perigosa e Não Deve ser Usada – Atenção! Aumenta o Risco de Cancer (Notí

Ler mais

Ovários Policísticos: informação para combater medicalização!

Ovários Policísticos: informação para combater medicalização! Eu: “como posso te ajudar?” Mulh

Ler mais

Jejum Intermitente e seus beneficios

Ler mais