ZUMBIDO NO OUVIDO



    O zumbido é frequentemente descrito como "um barulho nos ouvidos". Esse barulho varia sensivelmente de pessoa para pessoa, sendo apitos para alguns, chiados para outros, barulho de cachoeira, roncos, etc. O mais importante é saber que essas pessoas com zumbido, às vezes, ouvem esses barulhos 24 horas por dia, ficando mais intensos quanto mais silêncio existe.

   No início da doença muitos pacientes ficam preocupados, especialmente se eles nunca ouviram falar sobre Zumbido ou, ao contrário, se conhecem algum portador que tenha dito sofrer disso há muitos anos. As perguntas que mais ansiedade causam no paciente são: Será que o Zumbido desaparecerá? Perderei minha audição? Como posso dormir com todo esse barulho? Como posso trabalhar? Outras pessoas também sentem isso?

   Normalmente, o paciente sente-se emocionalmente melhor depois de obter explicações de um profissional qualificado, como por exemplo, um médico otorrinolaringologista. Também pode sentir-se aliviado se conversar com alguém que também sofra de Zumbido, que já experimentou os mesmos tipos de sensações e aprendeu a lidar com elas.

Causas

Até o momento, não se tem certeza absoluta de nenhuma causa específica para o Zumbido. São conhecidos, entretanto, alguns fatores que causam o Zumbido ou podem piorá-lo e podem ser identificados:

- acúmulo de cera nos ouvidos,
- alergias,
- ansiedade, depressão e estresse
- certos medicamentos (aspirina, alguns antibióticos, etc),
- doenças cardiovasculares,
- exposição ao barulho,
- infecção nos ouvidos ou dos seios paranasais,
- oclusão dental,
- otosclerose,
- problemas na articulação temporo-mandibular
- hipotireoidismo
- traumatismo de cabeça e pescoço
- tumor no nervo auditivo

   Os fatores que levam a uma piora do Zumbido é a exposição demasiada ao barulho, a perda de audição e o estresse. Nesse particular do estresse, podemos dizer que o Zumbido causa estresse e vice-versa, ou seja, o estresse causa Zumbido. Esse mecanismo pode se tornar um ciclo vicioso.

   Alguns medicamentos (ototóxicos) também podem prejudicar os ouvidos e piorar a doença. O álcool, a nicotina e a cafeína também. Alguns pacientes relatam que o Zumbido piora após o consumo de certos alimentos, como o queijo, sal e vinho tinto.

   Emocionalmente, a maioria dos pacientes com Zumbido se considera saudável. Dependendo do perfil emocional de cada paciente, alguns se adaptam aos ruídos que escutam. Outros, no entanto, podem ficar perturbados e estressados, inclusive, necessitando de alguma ajuda psiquiátrica para aprender a enfrentar este problema.

   Fisiologicamente, entretanto, diante do Zumbido o organismo tende a reagir como se estivesse constantemente ameaçado, que é a sensação experimentada no estresse. Quando esta situação excede a capacidade de adaptação e tolerância da pessoa, pode ocorrer um estado de esgotamento.Alguns autores estabelecem critérios de graduação da gravidade do Zumbido.

   São seis graus, do 0 ao 5, de acordo com a intensidade dos sintomas:

0- o Zumbido não está presente.

1 - o Zumbido está presente se eu prestar atenção, mas não é muito irritante e pode ser normalmente ignorado.

2 - o Zumbido é freqüentemente irritante, porém pode ser ignorado a maior parte do tempo.

3 - é difícil ignorar o Zumbido, mesmo com esforço.

4 - o Zumbido está sempre presente a um nível irritante e frequentemente causa considerável sofrimento.

5 - o Zumbido é mais do que irritante, causando um problema angustiante por muito ou todo o tempo.

   O tratamento à base de medicamentos pode envolver o uso de vitaminas, vasodilatadores, tranqüilizantes, antidepressivos, anticonvulsivantes ou antivertiginosos. Entretanto, nenhum desses medicamentos significa cura para o Zumbido, mas pode fornecer alívio em vários casos.

   O Zumbido é um sintoma clínico. O paciente deverá ser examinado por um otorrinolaringologista para eliminar qualquer problema clínico que possa estar associado ao Zumbido. Deve ser feita uma avaliação auditiva para determinar se a pessoa percebe níveis sonoros de forma normal, e se os seus ouvidos estão funcionando como deveriam.



Veja também: Labirintite




Outros Artigos

Omega 3 e Ansiedade

Ácidos graxos ômega-3 alteram gravidade dos sintomas de ansiedade, publicado pelo JAMA Psychiatry quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Ler mais

Sucupira Cuidado

Ler mais

Dieta de Atkins

Dieta Atkins - como fazer e alimentos permitidos

Ler mais

Dieta Low Carb

Como fazer a Dieta Low Carb

Ler mais

Minerais e sua importancia

MINERAIS QUELATOS MINERAL DE ALTA ABSORÇÃO     Também chamados de minerais orgânicos, minerais quelatados ou mineral amino&

Ler mais

Zinco e imunidade

Efeito do zinco aminoácido quelato e sulfato de zinco na incidência de infecção respiratória e diarreia em

Ler mais