Vitamina D no tratamento de esclerose múltipla i

Uso de vitamina D no tratamento de esclerose múltipla inspira documentário

A bem-sucedida terapia com uso de vitamina D no tratamento de esclerose múltipla inspirou o jornalista — e portador da doença — Daniel Cunha a produzir um documentário retratando a experiência de cinco pacientes que tem se beneficiado da nova abordagem. O vídeo independente Vitamina D — Por uma outra terapia foi publicado na site vitaminadporumaoutraterapia.wordpress. em abril e já registra mais de 15 mil visualizações.

Desenvolvido no Brasil em 2003, pelo neurologista Cícero Galli Coimbra, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o tratamento consiste na reposição de vitamina D. Segundo o médico, cerca de 70% das pessoas que sofrem de esclerose múltipla apresentam níveis muito baixos desse nutriente, o que se correlaciona com uma frequência maior de manifestações (surtos) e com sequelas neurológicas mais acentuadas após cada ocorrência.

Desde então, a experiência clínica de Coimbra com mais de 700 pacientes de esclerose múltipla no país tem apresentado quadros de estabilidade da doença, regressão de sequelas — como o retorno às atividades físicas — e até mesmo melhoras em lesões no cérebro e na medula, reveladas por ressonâncias magnéticas. O mesmo protocolo é eficaz no tratamento de outras doenças autoimunitárias, como artrite reumatoide, lúpus, psoríase, vitiligo, diabetes do tipo 1 e hipotireoidismo.

No caso da esclerose múltipla, a terapia com vitamina D dispensa o uso dos medicamentos convencionais. Entre os principais, estão os chamados interferons e o acetato de glatiramer. As injeções podem custar entre R$ 2 e 10 mil mensais, mas os remédios também são oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, eles diminuem as manifestações da doença em apenas 30%. Além disso, apresentam recorrentes efeitos colaterais.

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória crônica autoimune, causada por motivos genéticos ou ambientais, que compromete a função do sistema nervoso. Em geral, a doença acomete pessoas jovens, entre 20 e 30 anos, e provoca dificuldades motoras e sensitivas.

Fonte: ZERO HORA – RS



Outros Artigos

Som Bineural Arrastamento de Ondas Cerebrais Sons Puros

Esse aasunto é de extrema importancia e deve ser  USADO , PRATICADO , TODOS OS DIAS ...

Ler mais

Sons Bineurais Equilibre sua Mente , Ajude seu tratamento ... Sons Especiais

Ouvir música é uma experi&eci

Ler mais

Consulta médica Vs Exames e Laboratório

Ler mais

Oxigenoterapia + ILIB +Ozonioterapia Auricular = Saúde Força e Equilibrio

Oxigenoterapia + ILIB +Ozonioterapia Auricular =  Saúde Força e Equilibrio Existem várias variações para a aplicação

Ler mais

Suplemento de cálcio aumenta risco de ataque cardíaco, diz estudo.

Suplemento de cálcio aumenta risco de ataque cardíaco, diz estudo.

Ler mais

Terapia de Modulação Hormonal

Terapia de Modulação Hormonal Hormô

Ler mais